SPONSORS:

O Hi app permite ao usuário criar e personalizar seu cartão de visita

- 2 de Fevereiro de 2018

Nome:
Hi app.

O que faz:
É um aplicativo que possibilita ao usuário criar, personalizar e editar seu cartão de vista ou digitalizar a versão física. Além disso, permite a organização e o compartilhamento dos cartões recebidos em eventos.

Que problema resolve:
A startup quer resolvemos o problema da” ineficiência do networking feito com cartões físicos”, geralmente perdidos, esquecidos na gaveta ou desatualizados.  

O que a torna especial:
De acordo com o fundador, a ferramenta consegue reduzir em até 95% o gasto das empresas com cartões impressos para seus funcionários.

Modelo de negócio:
O Hi app cobra das empresas uma mensalidade ou anuidade para ter acesso à plataforma. O preço varia de 17,90 a 89,90 reais ao mês, dependendo da quantidade de colaboradores.

Fundação:
Março de 2017.

Sócios:
Marcelo Dieguez — CEO
Elvis Benício — Cofundador

Perfil dos fundadores:

Marcelo Dieguez — 30 anos, Barra do Piraí (RJ) — é formado em Administração de Empresa na Universidade Severino Sombra e pós-graduado em marketing pela IBMEC. Trabalhou na Stone Pagamentos.

Elvis Benício — 32 anos, Barra do Piraí (RJ) — é formado em Design Gráfico pelo Centro Universitário de Volta Redonda. Trabalhou na Flag e Agência YO como diretor de arte.

Como surgiu:
Em 2013, durante um evento de carreiras em uma feira de estudante, os sócios perceberam que quase nenhum dos jovens presentes utilizava cartão de visita. Os contatos eram registrados, na maioria dos casos, em seus celulares. A parti daí, os  fundadores tiveram a ideia de criar algo que substituísse de maneira mais organizada o convencional cartão de visita de papel, mas  somente em  2015 fizerem uma versão simples do que seria o app e começaram a desenvolvê-lo e testá-lo.

Estágio atual:
A startup possui mais de 1 400 usuários e quatro empresas utilizando a solução beta gratuitamente.

Aceleração:
O Hi app busca aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 30 mil reais para o lançamento embrionário do app.

Necessidade de investimento:
Os empreendedores querem captar investimento para a implementação de funcionalidades que tornem o app mais completo, mas ainda não definiram o valor.

Mercado e concorrentes:
“Empresas estão sempre produzindo cartões de visita, o problema é que muitas vezes ficam desatualizados ou são jogados fora quando um colaborador é desligado. Isso gera um desperdício e lixo desnecessário”, afirma Marcelo. Existem aplicativos internacionais que oferecem um serviço semelhante como o Camcard e o Haystack.

Maiores desafios:
“Converter a cultura da troca do cartão de visita físico para o sistema digital. Estamos desenvolvendo funcionalidades que irão tornar esse processo mais fluido”, diz o CEO.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Segundo semestre de 2018.

Visão de futuro:
“Nosso sonho é transformar e potencializar o modo de fazer networking, deixando-o mais acessível, econômico, eficiente e sustentável”, conta Marcelo.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

“Sempre achei que minha carreira evoluiria escada acima. Não podia estar mais enganada”

- 27 de Abril de 2018
Depois de viver o luto pela mãe, Fernanda Sigilião partiu em busca do emprego perfeito. Ainda não o encontrou, mas compartilha seu passo a passo de como abrir caminhos — na Europa ou em qualquer lugar.

“Cinco lições – de vida e de negócios – que aprendi conversando com 150 pessoas admiráveis”

- 15 de dezembro de 2017
Alexandre Waclawovsky, o Wacla, compartilha o que aprendeu em 150 conversar com CEOs e empresários que admira. É mais simples do que parece.