SPONSORS:

O Moraste é um classificado online de imóveis especializado em favelas

- 1 de abril de 2019

Nome:
Moraste.

O que faz:
É uma plataforma de classificados de imóveis para comunidades do Rio de Janeiro.

Que problema resolve:
Busca customizar os anúncios de acordo com as necessidades de cada comunidade, já que, de acordo com os sócios, a venda desses imóveis costuma ser difícil.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, a plataforma trabalha em um nicho pouco atendido, as casas de comunidade.

Modelo de negócio:
A plataforma é gratuita, mas pretende cobrar pelos anúncios cadastrados e pelos que optarem por um espaço de destaque.

Fundação:
Maio de 2016.

Sócios:
Leandro Bandeira   CEO e Fundador
Anderson Martiniano  Diretor de TI e cofundador

Perfil dos fundadores:

Leandro Bandeira — 29 anos, Rio de Janeiro (RJ) fundou a plataforma de vendas coletivas Qualificável. Atua como autônomo na área de vendas.

Anderson Martiniano  30 anos, Rio de Janeiro (RJ) é formado em Ciência da Computação pela UniCarioca. Trabalha na corretora Mongeral.

Como surgiu:
Leandro conta que, em 2009, seus pais queriam vender um imóvel no Morro do Alemão, no Rio de Janeiro, e tiveram muita dificuldade em achar um comprador. Já na casa nova, Leandro ficou pensando sobre o desafio que foi realizar a venda e buscou na internet se existia algum site focado em favelas. Ele disse que não encontrou nenhuma plataforma com esse enfoque, apenas os classificados tradicionais e, com o passar dos anos, grupos nas redes sociais. Leandro manteve a ideia em mente e chamou o amigo Anderson para criar a plataforma, colocando o MVP no ar em maio de 2016, até lançarem a versão oficial em outubro de 2018.

Estágio atual:
O Moraste passou um ano incubado na AbeLLha e, atualmente, conta com 80 anúncios.

Aceleração:
Está em busca de aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 4 mil reais de recursos próprios na plataforma.

Necessidade de investimento:
Querem captar entre 100 mil e 150 mil para investir em divulgação nas comunidades e em tecnologia para o site.

Mercado e concorrentes:
“O mercado de classificados no geral é muito grande e consolidado no Brasil. Atuar com o público classe C e D no ramo imobiliário, que praticamente não tem concorrentes diretos, é o caminho a ser seguido. Por sermos pioneiros, acreditamos que isso deve fazer diferença lá na frente”, diz Leandro. Ele aponta como concorrentes indiretos os classificados tradicionais e grupos no Facebook.

Maiores desafios:
“O maior desafio é a divulgação para mostrar ao nosso público-alvo a vantagem de anunciar no Moraste”, fala o CEO.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
2021.

Visão de futuro:
“Primeiro, queremos focar nas principais comunidades do Rio de Janeiro. Estamos realizando diversos testes em duas regiões, no Complexo do Alemão e no Complexo da Penha. Depois, iremos focar em outros estados. Mas acreditamos que nosso projeto seja escalável para outros países, principalmente na América do Sul”, afirma Leandro.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

1357 Total Views 2 Views Today
Veja também:

O Saladorama enxugou a equipe, fechou filiais e adaptou as vendas para voltar a expandir, agora com foco

- 30 de maio de 2019

Aqui, a periferia é o centro do negócio. Como a Agência Mural evoluiu de blog para agência de notícias

- 4 de março de 2019

Quebrada Produções, ou como Renata Santos mudou a própria vida levando a favela para o cinema e a TV

- 31 de dezembro de 2018

Ensino de programação na periferia e para a periferia. Conheça a trajetória do Jovens Hackers

- 16 de abril de 2018
Arthur, criador do Jovem Hacker, cercado de alunos de Paraisópolis: programação na e para a periferia.