SPONSORS:

O Produttivo é uma solução para gestão de serviços de campo

- 29 de agosto de 2019

Nome:
Produttivo.

O que faz:
É um app e uma plataforma web para gestão de serviços de campo.

Que problema resolve:
Para os gestores é uma forma de planejar e acompanhar as atividades externas dos funcionários, gerando relatórios que servirão de insumos para a tomada de decisão. A equipe que está realizando o serviço utiliza o aplicativo para preencher todas as informações a respeito do trabalho executado, inclusive como uma comprovação de que o fizeram da maneira correta e dentro do prazo. Para os colaboradores, elimina a necessidade de carregar maços de papel, câmera fotográfica e notebook durante as atividades. A solução também permite que tenham uma noção exata das atividades que são esperadas dele, diminuindo a incidência de falhas, esquecimentos e, consequentemente, de eventuais atritos junto aos gestores.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, a solução permite que os clientes, independente do segmento, criem seus processos, formulários e relatórios, de acordo com a sua realidade. O aplicativo funciona offline e coleta evidências fotográficas, assinaturas digitais e localização GPS.

Modelo de negócio:
A startup funciona no modelo SaaS, com assinatura a partir de R$ 300.

Fundação:
Março de 2016.

Sócios:
Victor Serta — CEO e cofundador
Anderson Andreatta — CRO e cofundador

Fundadores:

Victor Serta — 33 anos, Maringá (PR) — é formado em Engenharia da Computação pela PUC-PR. Cofundou a Agivis Sistemas, empresa de tecnologia com foco em mobile.

Anderson Andreatta — 31 anos, Curitiba (PR) — é formado em Sistemas de Informação pela Universidade Positivo e mestre em Bioinformatica pela Universidade Federal do Paraná. Foi CRO da Agivis Sistemas e leciona na pós-graduação da Universidade Positivo de Curitiba.

Como surgiu:
Victor conta que ele e Anderson sempre tiveram um background de tecnologia e “não se preocupavam apenas em ‘entregar código’, mas fazer algo que trouxesse benefício para a vida das pessoas”. Por causa do propósito em comum, tiveram juntos outra empresa, a Agivis, de desenvolvimento de apps. Dos clientes desse negócio, eles notaram a necessidade de uma plataforma que fizesse a gestão de serviço de campo ou de equipes externas. “Vimos que era um processo difícil de gerenciar, muitas vezes com tudo no papel ou uma planilha em um software que não tinha a parte de mobilidade”, diz Victor. Eles aproveitaram a demanda para criar o MVP e fizeram os testes na empresa de segurança do trabalho do pai do CEO.

Estágio atual:
A startup tem sede em Curitiba, conta com cerca de 250 clientes ativos em todo o Brasil e 1 milhão de serviços já realizados. Pretende terminar o ano com uma equipe de 28 funcionários.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
O negócio recebeu uma primeira rodada de investimento em março deste ano, do fundo Smart Money Ventures, do fundador da Movile, Fabio Póvoa. “O aporte de R$ 1 milhão está sendo utilizado em um completo business plan, cuja meta principal é quintuplicar o número de clientes atendidos nos próximos dois anos. O capital tem sido aplicado no desenvolvimento de novas funcionalidades para o app, a pesquisa e desenvolvimento de funcionalidades de IoT e IA e na estruturação de novas estratégias de marketing para captação e retenção de clientes”, diz o CEO.

Necessidade de investimento:
Não busca no momento.

Mercado e concorrentes:
“Com foco atual no mercado de soluções para inspeção e manutenção em campo que tem previsão de atingir, no mundo, U$ 2,8 bilhões em 2019 e, até 2024, U$ 5,9 bilhões (de acordo com pesquisa global da MarketsandMarkets), a estratégia do Produttivo é otimizar primeiro os processos básicos das empresas, substituindo o papel pelo celular e trazendo indicadores. E, depois, automatizar ainda mais o trabalho dos prestadores de serviço com a incorporação de funcionalidades de Inteligência Artificial e IoT. A solução vem ao encontro de uma necessidade muito presente em todos os segmentos do mercado nacional”, afirma Victor. Existem plataformas com propostas semelhantes como a Go.On.

Maiores desafios:
“Um dos grandes objetivos do Produttivo é auxiliar o mercado de serviços como um todo e não apenas vender um produto. Estimamos que 95% das empresas prestadoras de serviços nunca tenha experimentado uma tecnologia para melhorar a gestão dos processos em campo. Então, nosso principal desafio é mudar o mindset e trabalhar também para a educação do mercado.”

Faturamento:
R$ 1 milhão (em 2018).

Previsão de break-even:
Já foi atingido em fevereiro de 2018.

Visão de futuro:
“Queremos consolidar o Produttivo como o principal player brasileiro em automação de equipes de campo e alcançar a marca de mil clientes até 2020. Também temos planos futuros de internacionalizar a operação”, conta o CEO.

Onde encontrar:
Site
Contato

777 Total Views 2 Views Today
Veja também: