SPONSORS:

O Ribon é um app que converte anúncios de marketing digital em doações

- 7 de outubro de 2016

Nome:
Ribon.

O que faz:
Por meio do aplicativo, os usuários podem fazer doações para a caridade de forma gratuita. A operação é possível pela exibição de marketing de conteúdo na plataforma.

Que problema resolve:
A solução é uma alternativa para impulsionar marketing de conteúdo, e para quem gostaria de fazer doações de forma simples e rápida.

O que o torna especial:
A possibilidade de fazer uma doação sem gastar dinheiro e visualizar seu impacto real é o principal diferencial.

Modelo de negócio:
O Ribo fica com 30% da receita dos anúncios e 70% é convertido em ribons, a moeda digital do app (em breve, ela operará na blockchain), que possibilitam as doações dos usuários.

Fundação:
Abril de 2016.

Sócios:
Rafael Rodeiro – CEO
Carlos Menezes – CTO
João Moraes – CDO
Marco Gomes – Conselheiro

Perfil dos fundadores:

Rafael Rodeiro – 24 anos, Brasília (DF) – formado em Engenharia de Produção pela Universidade de Brasília. Conheceu o empreendedorismo pelo Movimento Empresa Júnior (MEJ) na própria UnB. Foi presidente de sua empresa júnior, Grupo Gestão, liderando 61 pessoas. Teve passagens no mercado de Real State e consultoria.

João Moraes – 21 anos, Brasília (DF) – formado em Design pela Universidade de Brasília. Ex-presidente da Lamparina Design, tendo realizado interface do app de uma das 100 startups mais promissoras do Brasil.

Carlos Menezes – 24 anos, Brasília (DF) – interrompeu o curso de Ciência da Computação da Universidade de Brasília. É Full Stack Developer autônomo há cinco anos em estúdios de design e no ramo de cloud computing.

Como surgiu:
Em março de 2016, Rafael conta que  estava pesquisando formas de fazer com que as pessoas tivessem maior hábito de fazer boas ações. “Fazer com que mais pessoas pudessem se sentir bem ajudando o próximo de forma rotineira foi o que me motivou a criar o Ribon”, ele conta. Em maio do mesmo ano, a equipe inicial já estava completa.

Estágio atual:
Atualmente, o aplicativo está em fase de tração. Atualmente, a plataforma conta com 16 mil usuários ativos e clientes como Visa, Votorantim e Bancorbrás.

Aceleração:
Participaram do programa de Aceleração da Cotidiano, Batch 3, em maio de 2017

Investimento recebido:
A startup recebeu 260 mil reais em investimentos, envolvendo anjos, aceleradoras e programas de fomento.

Necessidade de investimento:
Os sócios estão captando uma rodada pré Série A, tendo como líderes do round a Redpoint e.Ventures.

Mercado e concorrentes:
“O mercado de doações movimenta 3 trilhões de dólares ao redor do mundo, um mercado cinco vezes maior que o mercado de mídia (somando anúncios online e offline). Além disso, a intenção da startup é se transformar em um DApp (Decentralized App) por meio da tecnologia blockchain, e lançar um ICO em breve”, fala Rafael. Ele cita dois do principais concorrentes do aplicativo: o Tab for a Cause e o Gift Coin.

Maiores desafios:
“Nosso maior desafio atual é internacionalizar o Ribon e estruturar nosso ICO”, diz Rafael.

Faturamento:
30 mil reais (em 2018).

Previsão de break-even:
A previsão inicial era seis meses após lançamento do app, mas com o novo investimento que deve ocorrer em fevereiro de 2019, os sócios ainda estudam quando devem atingir o break-even.

Visão de futuro:
“A gente acredita que pode ser um dos agentes-chave na erradicação da extrema pobreza no mundo”, conta o fundador. 

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

Na Risü, reverter compras em doações é um negócio sustentável que fortalece causas sociais

- 6 de março de 2017
Com 4,5 mil reais de capital, Lucas Borges, Rodrigo Franzot e Francis Andrade e Matheus Godinho (ausente na foto) criaram um site para transformar compras online em doações.