SPONSORS:

O YouAgro é uma rede social sobre agronegócio

- 26 de dezembro de 2018

Nome:
YouAgro.

O que faz:
É uma rede social baseada em conteúdos colaborativos sobre agronegócio.

Que problema resolve:
De acordo com os fundadores, o app possibilita maior interação entre pessoas envolvidas com as atividades agro, desde o produtor até o consumidor, facilitando a troca de experiências e oportunidades de negócio.

O que a torna especial:
Ainda segundo os sócios, a rede oferece conteúdo exclusivo, direcionado e colaborativo sobre o tema.

Modelo de negócio:
O app lucra de quatro formas: inteligencia de mercado, versão corporativa, indicadores sociais e marketing de conteúdo.

Fundação:
Maio de 2018.

Sócios:
Guilherme Ferraudo — Cofundador
Guilherme Raymundo — Cofundador
Luis Francisco Brandão
Paulo Brugliato — Cofundador
Tederson Galvan — Cofundador

Perfil dos fundadores:

Guilherme Ferraudo — 34 anos, Botucatu (SP) — é doutor em Agronomia pela UNESP. Tem passagens por empresas como Monsanto, Fazenda Manoelita e Usina Cerradão.

Guilherme Raymundo — 32 anos, Jaboticabal (SP) — é especialista em Marketing Digital. Trabalhou como autônomo antes de empreender.

Luis Francisco Brandão — 46 anos, Vargem Grande do Sul (SP) — é formado em Engenharia Florestal pela Esalq/USP. Tem passagens por empresas como Basf e Syngenta.

Paulo Brugliato — 36 anos, Valinhos (SP) — é formado em Ciência da Computação pela Faculdades Anhanguera de Valinhos (FAV), com MBA em Tecnologia da Informação Aplicada à Gestão Estratégica de Negócios pela FGV. Tem passagens por empresas como Canavialis e Cutrale. É fundador da Ponderatti.

Tederson Galvan — 44 anos, Três Barras do Paraná (PR) — é doutor em Entomologia pela Universidade de Minnesota e formado em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa. Tem passagens por empresas como Monsanto e Bayer.

Como surgiu:
Guilherme Ferraudo conta que, “com o aumento da complexidade na produção rural e a capacidade limitada da iniciativa privada e do governo em simplificar a vida do produtor rural”, ele e os sócios perceberam que a colaboração entre os produtores e outros membros da comunidade agropecuária seria uma boa solução para ajudar o setor. “Participamos do programa Startup-SP, do Sebrae Piracicaba, onde validamos o modelo de negócio”, diz.

Estágio atual:
A startup está instalada no coworking da usina de inovação associada à EsalqTec, em Piracicaba (SP). Atualmente, contam com mais de 7 100 usuários, 201 grupos de discussão, mais de 100 categorias profissionais e a presença de membros de todos os estados brasileiros e Distrito Federal.

Aceleração:
Em busca de aceleração.

Investimento recebido:
Os sócios investiram cerca de 200 mil reais de recursos próprios e, em junho de 2018, receberam 30 mil reais de investidores-anjos.

Necessidade de investimento:
Os empreendedores querem captar 300 mil reais para desenvolvimento de novas funcionalidades no app, manutenção e aumento da equipe de vendas.

Mercado e concorrentes:
“As redes sociais, de forma geral, são outras opções para os produtores rurais, mas não as vemos como concorrentes diretos”, fala Guilherme Ferraudo.

Maiores desafios:
Segundo o cofundador, o maior desafio é aumentar a base de usuários e as interações recorrentes.

Faturamento:
30 mil reais (em 2018).

Previsão de break-even:
Terceiro trimestre de 2020.

Visão de futuro:
“Pretendemos ser a maior plataforma de compartilhamento de informações de maneira colaborativa do universo do agronegócio”, afirma Guilherme.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

A Tbit germinou e está levando seu sistema de controle de qualidade de grãos de Minas Gerais para o mundo

- 8 de novembro de 2018
2182 1 0

Como a Strider precisou se adaptar, sem perder a essência, após ser comprada

- 2 de agosto de 2018
9453 3 0

Como a Klabin busca se reoxigenar com startups e, também, validar a inovação com sua própria equipe

- 26 de julho de 2018
A gerente de inovação Renata Freesz fala dos desafios de vender o propósito de sua área dentro da organização e das expectativas em relação aos negócios apoiados pela empresa.

A Pragas.com viu como nicho de mercado a produção de insetos. Sim, a ideia é o controle biológico nas lavouras

- 7 de junho de 2018