SPONSORS:

Paula Abdo, da Formularium: investindo em parcerias para se destacar no setor

- 30 de maio de 2018
Para se consolidar, Paula formou parcerias com empresas prestadoras de serviço e direcionou o atendimento para nichos específicos, como dermatologia, nutrição e hospitalar.

 

Depois que se formou em Farmácia, a paulistana Paula Molari Abdo, teve uma rápida passagem pela indústria farmacêutica. Mas a falta de liberdade das grandes corporações, a necessidade de contato com pessoas e a vontade de servir à comunidade fizeram com que ela optasse pela farmácia pública. Começou a trabalhar em uma farmácia de manipulação pioneira no setor e, graças ao seu espírito empreendedor, deu um passo além: em sociedade com sua irmã Patrícia, formada em administração de empresas, e com o dono da Drogamérica, farmácia onde ela trabalhava na época, decidiu fundar a Formularium.

De acordo com o Conselho Federal de Farmácia, em 2016 o Brasil contava com cerca de 7.200 farmácias de manipulação. Como se destacar diante deste cenário? Essas e outras respostas você confere na entrevista abaixo.

Como foi o começo da sua história empreendedora

Eu era praticamente recém-formada em farmácia e através de cursos do SEBRAE e de diversas consultorias, apoio dos familiares e muito trabalho, a Formularium manteve um crescimento sustentável nos primeiros 20 anos. Mas há 10 anos, quando os sócios deixaram o negócio e eu assumi sozinha a gestão, profissionalizei mais a empresa. Formei parcerias com empresas prestadoras de serviço, direcionei para atendimento de nichos mais específicos, como dermatologia, nutrição e hospitalar. Essas estratégias foram essenciais para a Formularium se consolidar como um dos destaques do setor.

Como funciona a Formularium?

A Formularium é uma farmácia de manipulação que atende às mais diversas especialidades médicas, nutricionistas e veterinários. Somos credenciados por grandes hospitais e atendemos às demandas dos pacientes internados.

Já temos mais de 30 colaboradores, sendo mais de 80% mulheres, dentre elas, 8 farmacêuticas. A direção geral, estratégias e decisões são realizadas por mim, e desenvolvemos também lideranças importantes na área de produção, atendimento e garantia da qualidade.

Além disso procuramos proximidade com os prescritores (profissionais de saúde – médicos ou dentistas – credenciados para definir o medicamento a ser usado) e investimos muito em conhecimento farmacotécnico. Hoje, qualquer profissional, seja médico, nutricionista, veterinário ou farmacêutico hospitalar, é atendido necessariamente por uma de nossas farmacêuticas, capaz de esclarecer as suas dúvidas. Este trabalho é executado ou no mínimo, supervisionado muito de perto, por mim.

Como foi o início da sua história empreendedora?

Inicialmente contamos com o apoio de um sócio experiente e conquistamos um grande cliente, uma rede de academias. Logo no primeiro ano, minha irmã e eu compramos a parte desse sócio. Nos anos 80 e 90, no entanto, a economia do país estava muito turbulenta. Nossa matéria prima é toda importada e sofremos com a inflação e variações cambiais. Foram muitos desafios, desde planos econômicos dos mais variados a regulamentações restritivas da ANVISA. Acredito que superamos com trabalho, calma e criatividade. Acho que meu maior desafio foi quando fiquei sozinha. Tive que criar mecanismos e desenvolver empresas parceiras para poder dar conta.

Eu acreditava que poderia fazer tudo sozinha, mas com amadurecimento passei a enxergar a importância de ter bons parceiros e terceirizar o que pode ser terceirizado. Hoje vejo, por exemplo, que é melhor fazer o recrutamento e seleção, através de especialistas. Tudo é investimento e você tem que ter coragem e confiar nas pessoas para delegar funções importantes para o funcionamento do negócio.

Teve algum momento em que você pensou em desistir?

Tivemos alguns momentos difíceis, problemas com colaboradores, trabalhei por volta de 17 horas seguidas, por vários dias, mas nunca pensei em deixar de empreender, ou desistir.

Quais estratégias têm dado melhor resultado nesta trajetória?

São alguns pontos que fazemos desde a fundação, que fizeram com que a Formularium se destacasse. Desde o início, optamos por ser uma farmácia que tem tudo. É muito difícil a gente deixar alguém ir embora sem pelo menos uma orientação sobre o medicamento que busca. Também optamos por apoiar a formação dos prescritores, ou seja, os profissionais de saúde credenciados para definir o medicamento a ser usado. Eles podem contar conosco para pesquisa de produtos e materiais de difícil aquisição.

Como funciona este relacionamento com os prescritores?

Apoiamos eventos da Ligas Estudantis de Residentes em algumas especialidades, Grupos de Estudos de temas específicos como: Síndrome Metabólica, Eventos de formação de Nutricionistas funcionais, eventos de Farmacêuticos Clínicos e outros.

Montamos estandes (pagos) em alguns Congressos e se não há feira, fornecemos pastas, canetas e blocos de rascunho para uso no evento. Não temos contrapartida, apenas a exposição da nossa marca. A Formularium tem essa política de expor sua marca em eventos científicos e nunca trata diretamente com os profissionais, sempre há uma Associação, Sociedade, Liga ou Universidade que realiza o evento.

Com escolas técnicas de farmácia, fornecemos matérias-primas para as aulas de laboratório. Temos um plano de sustentabilidade e entre um dos nossos objetivos é contribuir na formação da mão de obra que atua em manipulação.

Sobre busca de matérias-primas de difícil aquisição, nós criamos um serviço na farmácia para dúvidas técnicas e pesquisas. Temos farmacêuticos dedicados a isso, a fim de orientar qual o melhor veículo, onde o profissional pode encontrar o produto e assuntos relacionados às necessidades de seus pacientes. Esse serviço é gratuito e não implica em transação comercial, mas através dele o profissional adquire confiança em nosso trabalho e, quando questionado, poderá recomendar a Formularium.

E quais caminhos foram deixados de lado?

A rigor, uma farmácia de manipulação é muito versátil e pode atender às mais diversas especialidades. Optamos por não fazer produtos injetáveis, oftalmologia e homeopatia, pois exigem uma estrutura de produção separada e específica. Mas, nada impede que um dia venhamos a atender esses nichos, já que nossa missão é levar soluções terapêuticas para as pessoas.

Qual foi a sua maior conquista até aqui?

Receber a farmácia com 8 funcionários em 2007 e chegar a 30 com um faturamento mais de 12 vezes maior em 2017.

Qual é o seu sonho? O que ainda falta realizar?

Quero profissionalizar a gestão da Formularium ainda mais, para torná-la uma referência em manipulação mundialmente.

Se pudesse voltar no tempo e refazer uma decisão, corrigir algum momento de sua trajetória, o que seria?

Cometi erros sim, foram muitos. Procuro me lembrar a todo momento deles para um constante e atento aprimoramento. Mas, acredito que meu maior erro foi, algumas vezes, ter pensado pequeno e ter reduzido a operação, a propaganda. Enfim, errei quando recuei, ao invés de voltar a empresa para o crescimento.

Se pudesse dar apenas uma dica para quem está querendo empreender, qual seria?

“Primeiro pense em para quem você vai vender. Depois, trabalhe para montar o produto e toda sua estrutura. Nunca faça o inverso”

 

Para saber mais:

Formularium: www.formularium.com.br

O que faz: Farmácia de manipulação

Sócios: Paula Molari Abdo

Funcionários: 30

Sede: Avenida Pedroso de Morais, 1.021 – Pinheiros, São Paulo – SP

Início das atividades: 1986

Investimento inicial: U$ 8 mil

Esta matéria pode ser encontrada no Itaú Mulher Empreendedora, uma plataforma feita para mulheres que acreditam nos seus sonhos. Não deixe de conferir (e se inspirar)!

 

NOVO BANNER

Veja também:

“Sempre trabalhei em áreas dominadas por homens, mas nunca deixei que isso me intimidasse”

- 14 de dezembro de 2018
424 0 0