SPONSORS:

Seleção Draft – Abraçar a mobilidade

- 29 de outubro de 2015
O que ainda impede empresas de usarem a mobilidade a seu favor? (Imagem: Luke Wroblewski - Flickr/ Reprodução)

Mobilidade é um estado de espírito
O uso de aparelhos móveis já mudou faz tempo o nosso estilo de vida. A mobilidade hoje é um ponto sensível no modo de trabalhar. Mas as empresas abraçam as possibilidades de acordo com suas limitações. O texto do Recode propõe essa reflexão: até onde as companhias estão interessadas em usar a mobilidade para inovar, a favor de si e de seus funcionários? Afinal, ferramentas como smartphones e a própria nuvem têm capacidade de transformar em grande escala o modo de trabalho. O autor diz:

“Para atingir a mobilidade, é preciso mudar a maneira como as empresas pensam, usam e asseguram suas informações. (…) Algumas delas chegaram à conclusão que só colocar o pé na água, em vez de abraçar a mobilidade, traz mais danos que benefícios”

Leia mais no link acima.

 

Como o “Uber da faxina” errou feio
A história da Homejoy é um dos cases mais conhecidos de startups que entraram em crise após a expansão. A empresa de São Francisco foi de unicórnio ao fechamento de suas portas em dois anos. Muitos textos por aí já tentaram apontar os erros da empresa e seus principais obstáculos, mas o artigo da jornalista de tecnologia Christina Farr, no Medium (link acima), é rico em detalhes. Ela diz que os maiores problemas da Homejoy foram: esbarrar em leis trabalhistas, não conseguir reter sua base de usuários e investir muito dinheiro em uma expansão rápida e não-sustentável. Enfim, tudo o que uma startup não quer. Ótima leitura para entender o potencial de alguns equívocos de empreendedores.

 

IBM agora tem um ThinkLAB no Brasil
Ambiente dedicado a pesquisas inovadoras e colaborativas, o ThinkLAB é uma iniciativa conhecida da IBM no campo de desenvolvimento tecnológico internacionalmente. Neste ano, em que a companhia completa cinco anos no Brasil, ela chegou a São Paulo. O laboratório é o primeiro da América Latina e vai testar projetos de pesquisadores internos, que depois serão disponibilizados na plataforma Bluemix. A ideia é desenvolver soluções para problemas tecnológicos de empresas e obter feedback em tempo real. “Agora iremos acelerar expressivamente o processo de desenvolvimento de novas tecnologias e modelos de negócio junto às empresas da região”, diz o diretor do Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil.

 

Rethink Business
Pelo quinto ano, a conferência Rethink Business vai realizar palestras e discussões sobre crowdsourcing, empreendedorismo e inovação. O evento acontece em São Paulo, na Fecomércio, nos dias 5 e 6 de novembro. Ele vai contar com mais de 20 palestrantes nacionais e internacionais, que irão discutir os desafios das empresas para inovar. Assuntos como inteligência artificial e robótica, e como elas podem ajudar executivos e empreendedores a se prepararem e agirem no novo contexto, são pautas garantidas. Veja aqui a programação no link acima e clique aqui para se inscrever. Até o dia 4 de novembro os ingressos custam 740 reais. No dia do evento, o lote sai por 920 reais.

2673 Total Views 1 Views Today
Veja também: