SPONSORS:

Seleção Draft – Caminho do meio

- 19 de dezembro de 2018
Nem tanto ao céu nem tanto à terra: a resposta é equilibrar vida pessoal e trabalho para não comprometer nenhum dos dois.

Caminho do meio
É possível ser um grande líder e também ter vida própria, mas o que frequentemente vemos é a mídia, e os próprios fundadores, exaltarem seus estilos de trabalho intensos e insanos, como destaca a Harvard Business Review. Sacrificar vida pessoal pela carreira não é a única maneira de se chegar ao topo, mas é claro que mudar esse padrão não é tão simples assim. O texto fala sobre três lições para um líder chegar a esse equilíbrio. A primeira é saber confiar no próprio time, compartilhando as responsabilidades. A segunda é arriscar-se a sugerir uma nova cultura (não é porque a maioria das empresas não faz trabalho remoto ou tem uma jornada menor que você não pode propor isso). E a terceira tem relação com o próprio modelo mental do líder, ou seja, o que é mais importante para ele (se é a família, os amigos, a saúde, planeje-se para colocá-los em primeiro lugar). Leia mais no link acima.

 

Tête à tête com o cliente
No Medium, o estrategista Neil Cooper, compartilha um passo a passo de como um fundador deve apresentar sua ideia e fazer perguntas úteis para potenciais clientes com o objetivo de aprimorar seu produto. O autor diz, no link acima, que é importante descrever o que faz de forma direta, depois, questionar qual a reação instintiva do usuário em relação à proposta e se ela lembra algo que já existe. Em um próximo nível da conversa, ele sugere perguntar qual seria o impacto de seu projeto na vida do consumidor, como ele afetaria seu dia a dia e, por fim, quais frustrações ajudaria a resolver. No fim do texto, o autor também oferece para download gratuito um template dessa “fórmula”.

 

Inovação além de quatro paredes
Os centros de inovação para startups se consolidaram este ano no país. Segundo o Estadão (link acima), houve um aumento expressivo do número de pessoas que trabalham nestes ambientes disruptivos, como o Cubo, Habitat, Campus e Estação Hack. Há um ano eram mil pessoas e, hoje, são 3 mil. O texto destaca, no entanto, que a meta desses espaços é ir além do número de frequentadores ou do tamanho, quebrando as barreiras físicas. O Bradesco, por exemplo, idealizador do Habitat, quer conseguir estabelecer contato com empresas que não estão ou não conseguem vir a São Paulo. De olho no mesmo objetivo, o Google, responsável pelo Campus, lançou, recentemente, o Google Playbook (um guia com dicas sobre aprendizados dos dois primeiros anos de existência do espaço).

 

Prêmio Fundación Mapfre
A Fundación Mapfre está em busca de projetos inovadores e de transformação social e impacto global na América Latina e na Europa nas áreas de e-health, insurtech e mobilidade e segurança viária. Após uma seleção, 27 projetos receberão mentorias online e nove passarão por um processo de coaching antes do Prêmios à Inovação Social, que ocorre em outubro, em Madri. Lá, serão conhecidos os três vencedores. Eles receberão 30 mil euros cada. Podem se inscrever para o prêmio, no link acima, pesquisadores, empreendedores, cientistas e estudantes de universidades e escolas de negócio. O prazo é 31 de janeiro.

Veja também:

Entre apoiadores e descrentes em um produto – orgonite, conhece? – é possível encontrar o sucesso

- 9 de outubro de 2018
4744 7 0