SPONSORS:

Seleção Draft – Como anda o nosso ecossistema

- 29 de julho de 2016
A união entre startups e grandes empresas é boa para o ecossistema brasileiro. (Imagem: Pierre Pocs Photography - Flickr/ Reprodução)

Como anda o nosso ecossistema
O artigo de Anderson Thees no Tech Crunch traz uma visão otimista sobre o ecossistema de startups no Brasil. Apesar da crise política e econômica, o autor pontua, surgiu uma condição interessante para quem empreende. E a evolução tecnológica e a simbiose entre negócios nascentes e grandes empresas são as razões por trás desse otimismo. Já no campo das aceleradoras, esta reportagem do Estadão traz uma pesquisa da FGV que aponta o valor já investido por esses grupos em startups brasileiras – mais de 50 milhões de reais.

 

A bolha dos bots
Muito tem se falado sobre como os bots podem deixar os aplicativos no passado. No Venture Beat, o Dr. Amir Konigsberg diz que a principal razão para acreditar nessa teoria são as possibilidades dentro do mercado de compras pelo celular. Isso se esses robôs forem aperfeiçoados para representar uma evolução na PLN (Processamento de linguagem natural), que ensina computadores a entenderem o que humanos querem dizer. Leia no link acima.

 

Quem se importa com inovação?
Apesar de ser uma palavra-chave para muitos empreendedores, VCs e executivos, a inovação não é exatamente o que motiva seus negócios, diz Dan Calinescu em seu artigo no Medium. Ele conta que, no topo da cadeia de figuras que se importam com ela, estão as pessoas que perdem o sono para criar algo novo: “Todos aqueles loucos que não precisam de permissão para inovar”. Leia  mais no link acima.

 

Experimente Ser
A quarta edição do projeto criador de jornadas voltadas para o autoconhecimento, o Experimente Ser, acontece no próximo dia 7, em São Paulo. No evento, a futurista Lala Deheinzelin vai falar sobre novas economias (criativa, colaborativa e multimoedas). No dia 14, será a vez de Angelina Ataíde comandar um papo sobre Liderança no Novo Mundo. Para se inscrever, acesse o link acima. Os ingressos custam 270 reais.

2311 Total Views 1 Views Today
Veja também:

“Por que não recuperar a imagem do Rio para que a cidade se torne um polo de programadores?”

- 17 de outubro de 2019