SPONSORS:

Seleção Draft – Exaustão não dá lucro

- 15 de março de 2019
Não se exceda no trabalho: chega uma hora que o cérebro pifa!

Exaustão não dá lucro
A pauta na PEGN é como o excesso de trabalho pode prejudicar um negócio. Sim, trabalho duro e esforço continuam sendo a porta de entrada para o sucesso, mas quando o empreendedor não sabe delegar, ele acaba afetando diretamente o potencial de sua equipe e mostrando, indiretamente, que não confia nela. O texto do link acima também indica que não importa quantas horas o fundador gaste planejando novas estratégias. A empresa tem um limite para crescer e depende do talento de outras pessoas para isso. No entanto, o ponto mais importante é que o excesso leva à perda da paixão, essencial para manter o foco e o prazer no que se faz. A dica não é simplesmente trabalhar menos, mas entender o que está por trás desse comportamento (falta de dinheiro, poucos funcionários etc) e aprender a compartilhar procedimentos-chave, permitindo que os colaboradores também entrem em campo.

 

No limite da velocidade
Como sobreviver ao crescimento rápido de uma startup? É duro acompanhar o ritmo e há as dores e os prazeres de ver sua empresa ganhar embalo. Para ajustar a marcha e não causar “acidentes” no meio desse percurso, o coach Rhett Power recomenda, no Inc. (link acima), que o empreendedor se livre de qualquer tipo de gasto desnecessário; entenda que neste período a empresa talvez não precise de inovação, mas de manutenção; e invista em consolidar sua marca (nada de querer mudar a identidade nesse período).

 

Pequenos desperdícios
“O diabo mora nos detalhes”, diz o provérbio alemão. Pois na gestão é exatamente isso: nas miudezas que se costuma pecar. Flávio Picchi, presidente do Lean Institute Brasil, escreve na Época Negócios que a metologia lean ensina que é preciso mudar a mentalidade nas organizações, questionando se cada detalhe agrega ou não valor ao cliente. Mas isso, afirma ele, quem perceberá serão os colaboradores e não o fundador. Por isso, ele fala, no link acima, que é importante desenvolver as pessoas, orientá-las para que olhem seus processos, proponham e testem melhorias (até que estas sejam padronizadas e se comece a observar outros  “pequenos desperdícios”).

“Essa roda de melhorias, quando realizada de forma consciente e cotidiana, causa verdadeiras revoluções nas organizações, que se tornam a cada dia muito mais eficientes e competitivas”

 

Blockchain para Negócios
A Mosaico University e a Blockchain Academy lançam o curso Blockchain para Negócios, disponível pela internet a partir de 15 de abril. O conteúdo busca demonstrar as aplicabilidades da tecnologia no dia a dia das empresas para alavancar projetos de diferentes segmentos. As aulas, com carga total de 42 horas e sete módulos, trarão 15 convidados nacionais e internacionais que já utilizam ou trabalham com blockchain, entre eles, Gustavo Paro (ex-Microsoft e atual R3), Vito Castanha (blockchain lead do Itaú), Fernando Mattoso (CTO da Natura) e Andrea Tinianow (fundadora do Delaware Blockchain Initiative). Leitores Draft têm 10% de desconto nas inscrições (atualmente custam 909 reais, mas o valor regular é 1.299 reais), utilizando o código draft2019 no momento do registro no link acima.

Veja também: