SPONSORS:

Seleção Draft – LGBT nas startups

- 28 de junho de 2018
A aceitação no ecossistema das startups é melhor do que nas empresas tradicionais, mas mesmo assim, o público LGBT ainda enfrenta dificuldades.

LGBT nas startups
No Dia Internacional do Orgulho LGBT, o StartSe aborda como é a aceitação desse público no ecossistema empreendedor, com opiniões de empreendedores e colaboradores de startups. De acordo com o texto (link acima), muitos afirmam se sentir acolhidos neste ambiente, “mais disposto a abraçar temas diferentes” do que as empresas tradicionais. No entanto, alguns entrevistados dizem já ter vivido situações homofóbicas e contam que, na pressa e na urgência do dia a dia, antigas preconceitos falam mais alto. O artigo menciona iniciativas e negócios que trabalham com esta causa, como o Comitê de Diversidade e Inclusão da ABStartups, lançado hoje, para incentivar discussões sobre o tema e combater preconceitos.

 

Consolidação das fintechs
Rodrigo Soeiro, presidente da Associação Brasileira de Fintechs, fala que o processo de consolidação das startups financeiras está começando no Brasil e reflete uma mudança no cenário competitivo. À Época Negócios, ele cita como exemplos deste movimento as recentes aquisições feitas por fintechs, como a da Wabbi pela ContaAzul, e afirma que os grandes bancos também estão investindo pesado em tecnologia e, em cerca de quatro anos, terão condições de enfrentar as fintechs de igual para igual. Leia mais no link acima.

 

Pesquisa RME
A Rede Mulher Empreendedora (RME) realiza a 3ª edição da pesquisa “Empreendedores e seus negócios”, com o objetivo de compreender e comparar os perfis e dificuldades ( marketing, vendas, investimento, empréstimos, planejamento e controle financeiro etc) das empreendedoras e dos empreendedores brasileiros. A pesquisa pode ser respondida no link acima. A partir de seus resultados, a ideia é criar ações de melhorias para o ecossistema.

 

Aceleração Itaú Mulher Empreendedora
Acaba neste sábado (30) o prazo de inscrição na 2ª edição do programa “Aceleração Itaú Mulher Empreendedora”, realizada pelo banco Itaú Unibanco, em parceria com a FGV. A iniciativa vai selecionar 30 fundadoras para participar de um processo de capacitação, que abordará temas como: negócios e liderança feminina, estratégias de marketing e finanças. Lembrando que o Itaú Mulher Empreendedora possui um canal de Brand Channel aqui no Draft. Mais informações no link acima.

Veja também:

“Eu não queria viver uma vida paralela. Só que, para ser eu mesmo, precisei antes me redescobrir”

- 5 de julho de 2018
Depois de 15 anos casado com uma mulher, Marcio Orlandi conta como foi se assumir gay e lidar com a reação da família, dos amigos e colegas de trabalho (foto: URSound).