SPONSORS:

Seleção Draft – Na cabeça do investidor

- 24 de abril de 2019
Mais do que um bom pitch, o empreendedor precisa pensar como um investidor na hora de pedir um aporte.

Na cabeça do investidor
O conselheiro de startups Hillel Fuld afirma que o empreendedor precisa garantir, ao enviar seu pitch de apresentação, que seu documento se destaque dos demais e o investidor marque uma reunião. Mas como? “Saindo da bolha” e pensando com a a cabeça de quem vai aportar dinheiro em um negócio, diz o autor. No Inc., ele resume o básico do que o documento deve conter: quem é você; quem está no time; qual é o tamanho do seu mercado; qual seu produto; como vai colocá-lo nas mãos dos clientes; quanto eles vão pagar etc. Porém, mais do que isso, segundo Hillel, um investidor espera um retorno de pelo menos 2% a 5% sobre o seu investimento. O fundador precisa, então, mostrar segurança nessa primeira apresentação e provar que está dentro da margem. Leia mais no link acima.

 

Não seja o alvo
A maioria dos negócios gasta muito tempo em coisas que retardam a equipe, despendem muitos recursos e agregam pouco valor. É o que dizem George Stalk e Sam Stewart, Jr., conselheiro e sócio, respectivamente, do Boston Consulting Group. No artigo acima da Harvard Business Review, eles afirmam: para não serem “interrompidas” pelos concorrentes, as empresas precisam, antes, entender quais são suas vantagens competitivas e, depois, aprender a incrementá-las. Em resumo, indicam:

“Nunca fique parado. Se você está parado, você é um alvo”

 

Pedestre x passageiro
MIT Technology Review (link acima) aborda uma questão interessante: os carros autônomos concentram-se na segurança de pedestres, mas é importante levar em conta, também, a segurança e o conforto dos passageiros. Ao frear para evitar uma colisão, por exemplo, um veículo deve parar de modo suave — e não bruscamente. No jargão da aprendizagem de máquina, essa ideia constitui um problema multi-objetivo. O artigo afirma que pesquisadores da Ryerson University, em Toronto, assumiram o desafio de ensinar uma AI por reforço (ou seja, com recompensas e punições) a atingir essa meta. Neste caso, puniam, em um ambiente virtual, o carro sempre que atingia um pedestre ou “sacudia” durante a frenagem”.

 

Agrishow
Ribeirão Preto (SP) recebe, entre 29 de abril e 3 de maio a Agrishow, feira de tecnologia agrícola que reúne soluções para todos os tipos de culturas e tamanhos de propriedades, lançamentos de tendências e inovações para o agronegócio. Os ingressos custam 45 reais e podem ser comprados no link acima.

1209 Total Views 1 Views Today
Veja também:

“A maior riqueza de uma comunidade residirá na capacidade individual de criar e na coletiva de realizar”

- 30 de agosto de 2019
Bruno viajou para a China, Israel, Alemanha e Estados Unidos e conta sobre sua experiência em alguns polos de inovação desses países.

A Pink Farms faz agricultura urbana em ambiente controlado, produzindo comida sem agrotóxico em SP

- 14 de agosto de 2019

Verbete Draft: o que é Plano Nacional da Internet das Coisas

- 24 de julho de 2019