SPONSORS:

Seleção Draft – Negociando com os hermanos

- 6 de fevereiro de 2019
Para entrar no mercado argentino e chileno é preciso, primeiro, entender a cultura dos hermanos.
Para entrar no mercado argentino e chileno é preciso, primeiro, entender a cultura dos hermanos.

Negociando com os hermanos
No Computerworld, Wagner Bernardes, diretor de vendas da Orange Business Services (fornecedora global de serviços de TI), fala o que empresas de tecnologia brasileira podem aprender sobre as hermanas chilenas e argentinas — e como fortalecer essas parcerias. Segundo ele, que já atuou nos dois países, o Chile prioriza fazer negócios com empresas locais, por isso, apesar de haver mercado para todos, a internacionalização chega devagar na região. Já sobre contratos, afirma que o país valoriza a confiança antes de qualquer termo formal (“a palavra é algo muito forte”). Em relação à Argentina, Wagner diz que se torna difícil prever movimentos do mercado vizinho pela inflação flutuante (resultado da instabilidade política e econômica). Por outro lado, a negociação entre as duas partes é tranquila, diferente da rivalidade, que a seu ver se restringe ao futebol! Leia mais no link acima.

 

O exercício de se escutar
O UX designer Anton Nikolov escreve, no Medium, sobre a importância de não apenas ouvir os outros, mas especialmente a si mesmo na hora de tomar decisões. O texto (link acima) não é especificamente para empreendedores, mas vale a reflexão quando ele recomenda que tiremos um tempo para observar e escutar nosso próprio pensamento, antes de usá-lo da boca para fora. Anton ainda afirma:

“Um comentário e um elogio podem ter um efeito duradouro no receptor, por isso, esteja ciente do que você fala”

 

Startups x convênios
Está aí um filão que as healthtechs estão sabendo aproveitar bem: o espaço deixado pelos planos de saúde, com taxas altíssimas e inviáveis para a maioria da população. De 2014 para cá, segundo o Estadão, o número de clientes ativos desse setor caiu 6%, para menos de um quatro da população, favorecendo negócios como o Dandelin, a N2B e o Consulta do Bem. As startups citadas no link acima surgem como uma opção mais acessível e tecnológica para a realização de consultas, exames, cirurgias e até mesmo prevenção baseada na alimentação. Os preços conseguem ser barateados, geralmente, por causa do conceito de economia compartilhada, de clubes de assinatura com custo variável e de planos corporativos. O Draft já falou sobre como as healthtechs estão ganhando espaço no mercado aqui.

 

SaaStock com desconto!
São Paulo recebe, entre 23 e 25 de abril, a 1ª edição do SaaStock na América Latina — maior evento mundial de software como serviço. O objetivo é reunir executivos, investidores e fundadores de empresas e startups desse nicho para workshops e networking. Entre os palestrantes, estão confirmados nomes como Eduardo Muller (Universidade Previsível), Cristina Fonseca (Indico Capital Partners), Diego Gomes (CEO da Rock Content) e Rodrigo Dantas (cofundador da Vindi). O Draft é Media Partner do evento e nossos leitores têm desconto de 10% no ingresso (originalmente, a partir de 230 dólares) comprando a entrada até 15 de fevereiro no link acima.

Veja também:

Conheça o ex-lutador de MMA que criou uma startup milionária, especializada em integração: a LinkApi

- 13 de fevereiro de 2019
262 15 0

Criada por médicos, a PEBMED leva informação atualizada para o setor de saúde

- 1 de novembro de 2018

Ele usou os ensinamentos do karatê para criar a GoGood, que incentiva colaboradores a serem mais saudáveis

- 22 de outubro de 2018
6847 1 0