SPONSORS:

Seleção Draft – O futuro dos negócios de alimentação

- 26 de dezembro de 2017
Dispositivos de VR vão mudar o mercado de alimentação: do modo de produção ao consumo (Imagem: Pexels/Reprodução).
Dispositivos de VR vão mudar o mercado de alimentação: do modo de produção ao consumo (Imagem: Pexels/Reprodução).

O futuro dos negócios de alimentação
O TechCrunch (link acima) fala como dispositivos de Realidades Aumentada e Virtual estão remodelando, pouco a pouco, os negócios do setor alimentar. No texto, a chef Jenny Dorsey conta que essas tecnologias já são usadas para reduzir gastos no treinamento de equipes de restaurantes e lojas do ramo, permitindo a novos colaboradores aprenderem de forma virtual — mas detalhada — suas funções diárias (como calcular o tamanho de uma porção ou tirar um expresso). Melhorar a experiência do consumidor é outro benefício citado, pois esses recursos conseguem inserir o cliente nos bastidores da produção, tornar pratos mais atraentes e compartilhar dados nutricionais.

 

Mais espaços compartilhados
O número de espaços compartilhados de trabalho no país cresceu 114% de 2016 para cá. Segundo uma pesquisa citada pela Época Negócios, o Brasil conta com 810 áreas desse tipo, que movimentaram 82 milhões de reais e receberam mensalmente 210 mil pessoas somente neste ano. O texto (link acima) aborda suas vantagens para o empreendedor que está começando, mas também ressalta a busca de grandes empresas por esses locais. E ainda reforça o papel de transformação cultural e social desses ambientes colaborativos, como fala Herman Bessler, cofundador da Malha e do Templo, no Rio de Janeiro:

“O mix de empresas traz novos arranjos, com capacidade alta de transformação, troca de conhecimento e diminuindo o custo de quem quer inovar”

 

Curso de férias
A ESPM de São Paulo realiza entre os dias 8 e 11 de janeiro o curso de férias “Empreendedorismo Social: Causas e Ações”. O objetivo das aulas ministradas pelo professor Marcelo Nakagawa é desenvolver uma melhor compreensão sobre a área, os desafios e as oportunidades para os empreendedores sociais. Além disso, pretende mostrar outros formatos de projetos, organizações e negócios que trabalham para um mundo melhor. As inscrições custam 1 430 reais e podem ser feitas pelo link acima.

Veja também: