SPONSORS:

Seleção Draft – Oswaldo Oliveira

- 11 de dezembro de 2017
Oswaldo Oliveira era especialista em organizações em rede, baseadas na abundância, em vez da escassez. Inspirou uma geração.
Oswaldo Oliveira era especialista em organizações em rede, baseadas na abundância, em vez da escassez. Inspirou uma geração.

Oswaldo Oliveira
Morreu no último sábado (9) à noite Oswaldo Oliveira. A quem perguntasse “de onde você é?”, ele dizia: “da Terra”. À inquisidora “o que você faz?”, não tinha dúvidas: “Faço o que posso”. Economista de formação, inspira e inspirou uma geração de empreendedores criativos no país. Agregador, sonhador, ajudou a conceituar e materializar algumas das mais importantes experiências de organizações em rede e autogeridas que conhecemos. No Draft, contamos a história da Lab89, em 2015, e da Próspera, no início deste ano. A amiga Andréa Fortes não tem detalhes da causa da morte, mas afirma: “Ele tinha passado a tarde com ex-colegas do colégio. Estava feliz. Até nisso, foi criativo. Nos deu um soco e ninguém entendeu nada. Uma morte ‘boba’, mas rápida, para nos lembrar que a vida é um fio”. A futurista Lala Deheinzelin publicou uma bonita homenagem no Facebook. Há muitas manifestações online de carinho e gratidão, como a da Perestroika, publicada há pouco. Em um vídeo, Oswaldo fala sobre algo que sabia bem: a abundância é a condição natural da vida — e não devemos temer a morte. O velório acontece na Funeral Home, em São Paulo, hoje às 19h, e vai até amanhã às 16h.

 

O desafio das latinas
No The Next Web, o brasileiro Diego Fischer, CEO da Instacarro (plataforma de venda de automóveis usados) fala dos desafios que o ecossistema de startups da América Latina precisa superar para se fortalecer. O imposto é um deles, considerado um dos maiores do mundo com taxas de 34% ou mais. Outros empecilhos são: a adoção demorada de tecnologia pelo usuário por causa do preço, a ineficácia do equity, as dificuldades de recrutar uma boa equipe, abrir uma conta empresarial — o que pode levar três meses — e captar fundos (somada a falta de VCs nesses países). Leia mais no link acima.

 

Aproveite o caminho
Startup e pausa são duas palavras desconexas. É o que diz a escritora Christin Platzek, no Medium. No entanto, em seu artigo, ela defende que, por mais que um empreendedor tenha medo de parar e perder negociações, é recomendável fazer um pequeno intervalo para celebrar as conquistas. A ideia, diz ela no texto (link acima), não é somente inflar o próprio ego, mas também compartilhar a vitória com a equipe e — principalmente — avaliar o que deu certo ao longo da jornada para poder repetir o feito em seguida.

 

De portas abertas
Foi inaugurado hoje, em São Paulo, o primeiro centro de inovação do Facebook no mundo. A Estação Hack passa a funcionar na Avenida Paulista e tem como objetivo acelerar negócios com impacto social positivo. As primeiras dez startups já foram selecionadas e anunciadas nesta segunda-feira, como mostra a matéria da Época Negócios (link acima). Entre elas estão a Kunla e a Muove. O local também terá uma agenda de cursos gratuitos de programação e palestras sobre empreendedorismo.

Veja também: