SPONSORS:

Seleção Draft – Pare de sofrer sozinho

- 29 de novembro de 2018
Compartilhe suas angústias: não é segredo nenhum que muitos empreendedores sofrem de Síndrome do Impostor.

Pare de sofrer sozinho
Praticamente todo empreendedor sofre de Síndrome do Impostor, mas poucos admitem isso. É o que diz o artigo do Entrepreneur, que incentiva os fundadores a compartilharem suas angústias ou mesmo o que ainda acham que precisam aprender nessa jornada para não se sentirem uma fraude. O texto ainda ressalta:

“Todo mundo se sente derrotado de vez em quando, mas tendemos a sofrer em silêncio, escondendo nossos medos como se fossem um segredo embaraçoso”

 

Quando falhar rende frutos
Fracassar pode não render dinheiro, mas gera muitos aprendizados. O e27 lista cinco lições interessantes que empreendedores podem tirar das falhas: começar uma startup apenas quando tiver capital suficiente (pelo menos para manter a operação por um ano); estabelecer um preço acessível para seu produto ou serviço (e oferecer descontos quando possível); entender que nem todo conselho vale a pena; saber que não é possível fazer tudo sozinho (delegar é a palavra de ordem sempre) e, caso o negócio realmente venha a dar errado, aceitar os fatos e seguir em frente de cabeça erguida. Leia mais no link acima.

 

Novo ciclo das fintechs
Guilherme Horn, diretor de inovação da Accenture para América Latina, conta que as fintechs estão entrando em novo ciclo, com mais espaço para crescer. A Época Negócios reproduz a opinião do especialista em um encontro promovido pelo Google São Paulo. Ele falou que as características tradicionais dos bancos (negócios com margens altas, marcas pouco amadas e barreiras de entrada altas) fortalecem a disrupção trazida pelas startups de serviços financeiros, assim como as novas regras regulatórias que devem ser introduzidas pelo Banco Central. “Hoje, vemos fintechs comendo receita de bancos”, falou Guilherme.

 

Aceleração Estação Hack
Vão até 10 de dezembro as inscrições para o programa de aceleração Estação Hack, uma parceria da Artemisia com o Facebook. Para sua 3ª turma, a iniciativa busca startups que preparem pessoas e cidades para o futuro e queiram gerar impacto positivo na sociedade. Ao todo, serão escolhidas dez empresas para participar da residência de até seis meses, em São Paulo, onde terão acesso a workshops, conexão com outros empreendedores e mentorias, apoio na formatação do modelo de negócio e refinamento do impacto social de suas soluções. Mais informações no link acima.

Veja também: