SPONSORS:

Seleção Draft – Pressão alta, mas positiva

- 25 de setembro de 2018
Dar um empurrãozinho para o cliente fechar uma negociação faz parte do jogo.

Pressão alta, mas positiva
No Medium, Cody Cameron, diretor de vendas da loja de móveis Ashley Furniture Homestores, escreve sobre como pressionar o cliente sem ser inconveniente e, assim, fechar um negócio. Ele diz que há uma conotação negativa associada à essa prática, devido a casos de empresas que chegavam a ser antiéticas para conquistar um consumidor. Segundo o autor, a internet e a concorrência revolucionaram o mercado e, consequentemente, tornou-se possível apostar em uma “pressão sem forçação de barra”. Mas, como? No link acima, ele compartilha sete táticas de como deixar o cliente à vontade, mantendo o comando da negociação, entre elas: ser honesto sobre o seu produto ou serviço desde o começo da conversa, definir expectativas, inspirar ação (e não aversão) e saber se comunicar (respondendo e fazendo perguntas difíceis).

 

Não à multitarefa
Estresse, mau humor, baixa produtividade e queda na motivação. É basicamente este o resultado de ser multitarefa, segundo uma pesquisa da Universidade Stanford citada por Lívio Moreira, gerente de projetos da desenvolvedora de apps Usemobile. No LinkedIn, ele critica a prática e fala de suas consequências negativas. Uma delas, talvez a mais óbvia, é que quanto maior o acúmulo de tarefas, maior a probabilidade de erros. Quer outra mais assustadora? Essa habilidade de mexer no celular, enquanto assiste à TV, responde um e-mail e conversa com alguém (tudo ao mesmo tempo) pode levar a falhas de memória a curto prazo. Além disso, claro, cada vez se gera mais ansiedade e se suprime a criatividade. Leia mais no link acima.

 

No nível dos gigantes
Dá para uma startup concorrer à altura com uma gigante de tecnologia — e nem é tão difícil assim. Pelo menos, é o que mostra a Forbes (link acima), que listou dez caminhos para fazer isso junto ao Forbes Coaches Council. As recomendações são simples, tais como: mostrar que seu negócio tem personalidade, tornar públicos os feedbacks positivos dos usuários, ser flexível, definir uma especialidade e criar uma experiência do cliente de “primeira classe”, o que, de acordo com o texto,  grandes empresas não conseguem mais fazer.

 

Talk Tendências Jurídicas
Acontece na sexta-feira (28), em Campo Grande, o “Talk: Tendências Jurídicas na Criação e Investimento em Startups”. O encontro, com Pedro Ramos (sócio do Baptista Luz Advogados e conselheiro da ABStartups) vai abordar quais as principais tendências e inovações jurídicas para a criação de startups e investimentos feitos por aceleradoras, investidores-anjo e fundos de investimento. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link acima.

Veja também:

“Eu vivia esmagado pela culpa. As coisas só melhoraram quando finalmente entendi que devia seguir o que amo”

- 7 de setembro de 2018