SPONSORS:

Seleção Draft – Quando vale procrastinar

- 30 de janeiro de 2018
Adie um pouco o socorro e dê tempo para que sua equipe aprenda a se virar sozinha (Imagem: Pixabay/Reprodução).
Adie um pouco o socorro e dê tempo para sua equipe aprender a se virar sozinha (Imagem: Pixabay/Reprodução).

Quando vale procrastinar
Um líder precisa treinar seus funcionários para agirem sozinhos — e isso implica em não responder imediatamente suas solicitações ou se mostrar disponível o tempo inteiro. Na Fast Company, o professor de psicologia e marketing Art Markman diz que procrastinar na hora de atender as dúvidas do time pode ajudar os colaboradores a encontrar novas soluções, ganhar mais independência e desenvolver espírito de liderança. O autor ainda afirma que, assim, a equipe entenderá que o CEO tem suas próprias prioridades e conseguirá resolver os problemas antes de precisar requisitá-lo. Leia mais no link acima.

 

MVP sob medida
Swarnendu De, diretor técnico da desenvolvedora de apps Innofied, comenta no Medium as falhas mais comuns cometidas por empreendedores ao desenvolver um MVP: não pesquisar adequadamente as necessidades dos clientes e como sua solução pode ajudá-los, não entender quem é a concorrência, criar estratégias para várias plataformas e não ter ideia de quais ferramentas adicionar ao produto na fase final. No texto (link acima), ele sugere identificar ao menos um público-alvo e um problema a ser resolvido, ter a experiência do usuário bem planejada e um projeto que possa ser testado rápido. Mesmo se nada der certo, Swarnendu destaca:

“É melhor ter um MVP invalidado a lançar um produto fracassado no mercado”

 

Habilidades na Nova Economia
O StartSe aponta as habilidades que um empreendedor precisa ter para construir negócios de sucesso na Nova Economia. As sugestões, do link acima e listadas abaixo, foram apresentadas por um dos sócios do site, Maurício Benvenutti, em um evento realizado hoje em São Paulo. São elas:

1) Causar impacto;
2) Entender que os ciclos de inovação estão cada vez mais curtos;
3) Saber questionar;
4) Integrar o cliente no processo criativo;
5) Ter uma equipe diversa para oferecer um produto multicultural.

 

Organizações Regenerativas
Como parte da programação de férias do Impact Hub São Paulo, o Sense Lab realiza amanhã o “Organizações e Sistema Regenerativos: um novo padrão para a economia, a sociedade e os negócios”. O encontro será mediado por Andreas Ufer, fundador de uma consultoria de inovação social, e pretende debater o tema a partir de conceitos como capitalismo consciente, organizações evolutivas, negócios de impacto social e autogestão. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link acima.

Veja também: