SPONSORS:

Seleção Draft – Resolução de conflitos

- 24 de janeiro de 2019
Pode não ser fácil, mas resolver conflitos aumenta a união e a produtividade do time.

Resolução de conflitos
O Youg Upstarts (link acima) traz, hoje, dicas para que resolver conflitos no ambiente profissional não gerem dor de estômago e sejam uma forma de aumentar a união e a produtividade do time. Primeiro de tudo, reúna fatos. Entrar em uma conversa sem ter feito a apuração de evidências lhe impede de confrontar as pessoas envolvidas e tira a sua segurança. Segundo ponto: ouça todos os lados envolvidos. Isso pode ser complicado se você seguiu a primeira dica. Entretanto, faça perguntas específicas, levante detalhes e dê oportunidade para as pessoas se explicarem. Por fim, se você assumiu que o problema não exige uma rescisão, permita que haja espaço para uma solução ganha-ganha: ofereça opções e leve todos a trabalhar para superar o problema, afinal nunca é bom nutrir ressentimento ou animosidade.

 

Monetizando o aquecimento global
Com base na divulgação de informações sobre impacto ambiental de mais de sete mil empresas em todo o mundo, uma apuração do Axios (link acima) relata que algumas empresas já conseguem ver maneiras de integrar um mundo mais quente em seus modelos de negócio. Uma das hipóteses é que haverá demanda por soluções que ataquem doenças tropicais, incluindo aquelas transmitidas pela água. Logo de imediato, as empresas farmacêuticas seriam beneficiadas. Por outro lado, gigantes de tecnologia e da indústria de alimentos preocupam-se com o uso racional da água. A reportagem encerra dizendo que os relatórios divulgados mostram que as despesas esperadas com a mudança climática podem se tornar tão grandes e prejudiciais que provocarão, nos EUA, uma corrida lobista para que o governo aprove políticas que reduzam as emissões de gases de efeito estufa. Seria até bom!

 

Aumenta o investimento em fintechs
De acordo com um estudo realizado pelo boostLAB, programa de aceleração do BTG Pactual em parceria com a ACE Cortex, o valor investido em fintechs aumentou mais de sete vezes entre 2016 e 2018, no Brasil. O estudo ainda relembra que, entre os cinco unicórnios anunciados no ano passado, três são empresas de meios de pagamentos: Nubank, PagSeguro e Stone. Eduardo Rosman, analista do BTG Pactual, disse à Época Negócios (link acima):

“Os bancos vencedores terão que abrir a cabeça. Não dá para ir contra as fintechs. Eles podem perder alguns negócios, mas terão de focar no que são bons e deixar interação e serviços para o cliente com as fintechs”

 

Aceleração Darwin Startups
Empreendedores de fintechs e startups das áreas de Seguros, Telecom e Big Data têm até o dia 10 de fevereiro para se inscreverem no processo seletivo do sexto ciclo de aceleração do Darwin Startups. O objetivo é incentivar o desenvolvimento de projetos em conjunto com os quatro parceiros corporativos do programa: B3, Neoway, RTM e TransUnion. As startups selecionadas para esta edição receberão investimento inicial de 200 mil reais, em troca de participação minoritária de 7% na empresa, e poderão escolher onde desejam ser aceleradas: na sede de Florianópolis ou na de São Paulo. Mais informações e inscrições pelo link cima.

Veja também:

A Nutrebem pivotou para virar uma fintech e gestora de alimentação saudável em cantinas escolares

- 8 de maio de 2019