SPONSORS:

Seleção Draft – Sem perder a identidade

- 1 de novembro de 2017
Não perca a identidade: você e seu negócio são coisas diferentes (Imagem: Pixabay/Reprodução).
Não perca a identidade: você e seu negócio são coisas diferentes (Imagem: Pixabay/Reprodução).

Sem perder a identidade
Empreender é uma experiência de corpo inteiro, que absorve tanto energia física como emocional e mental. A especialista em startups Dorcas Cheng-Tozun diz que muitos empreendedores costumam ver seus negócios como uma extensão de si mesmos, o que pode gerar altos níveis de estresse, insatisfação e até depressão. No Foundr (link acima), ela dá sugestões de como desvincular a identidade pessoal do desempenho da empresa e seguir essa jornada de forma mais saudável:

1) Estabeleça horas e locais “sagrados” para o descanso;
2) Aprenda a dizer não para oportunidades muito arriscadas ou com altos custos;
3) Saiba colaborar e também compartilhar mais as responsabilidades;
4) Invista em relações que valorizem quem você é e não o que faz.

 

O empreendedor brasileiro
O Startupi traz o resultado de uma pesquisa sobre o perfil do empreendedor brasileiro, realizada pelo PayPal e pelo MindMiners. Sobre a faixa etária dos entrevistados, o levantamento revelou que 32% têm de 18 a 24 anos e apenas 11% mais de 41. Para quase 60%, a principal motivação para abrir um negócio é buscar maior autonomia. Cerca de metade — 51% — escolheu como sócio algum familiar, enquanto 29% optaram por amigos. A maioria começou “na raça”: apenas 3 % procuraram a ajuda de uma incubadora ou aceleradora para entender antes o ecossistema. Conheça outros dados no link acima.

 

Pivotar é normal
Pivotar faz parte da rotina de qualquer startup e é praticamente um rito de passagem, como ressalta este artigo do Startups.co, que traz a experiência de dois fundadores. Eles afirmam que o empreendedor não deve esperar por um “estalo” ou ser forçado por questões financeiras. Para ambos, pivotar é um processo natural, gerado pelo descontentamento com o modelo de negócio ou a descoberta de outra utilidade para o produto, por exemplo. O mais importante, ressaltam, é não relacionar isso ao fracasso:

“Acordar todos os dias e levar adiante ideias que não funcionam é insanidade e não perseverança”

 

Inovação no Rio
O Instituto Euvaldo Lodi, em parceria com a Firjan, realiza na próxima segunda-feira (6), no centro do Rio, um workshop gratuito com a seguinte temática: “Como empreender no ambiente de negócios?”. Entre os palestrantes que vão falar sobre criatividade, inovação e futurismo estão Tiago Mattos, cofundador da Perestroika, e David Lederman, do Disney Institute do Brasil. A entrada é gratuita e a pré-inscrição pode ser feita no link acima

Veja também:

Como Beia Carvalho deixou a publicidade e se tornou, ela mesma, um produto: palestrante futurista

- 6 de Março de 2018
Aos 63 anos, ela fala das experiências de vida, e da carreira premiada na publicidade, que a levaram a se tornar um "farol" para empreendedores sobre o que será o amanhã (foto: Laureni Fochetto).