SPONSORS:

Seleção Draft – Um eterno Lego

- 25 de março de 2019
Monta dali, desmonta de lá: para se manter firme no mercado, a mentalidade de uma empresa precisa estar em movimento.

Um eterno Lego
O artigo do VentureBeat fala sobre a importância de um negócio estar em constante reconfiguração:

“A reconstrução não é uma opção; é o único caminho a seguir. É como nos adaptamos às condições do mercado, aos requisitos do cliente e às necessidades dos funcionários”

Segundo o texto (link acima), apenas uma mentalidade de reconstrução impulsiona práticas de pensamento avançado e garante relevância. Para se manter em movimento, as dicas são: não cair na rotina (dos pagamentos, do RH, da papelada etc) e buscar sempre inovação; pensar no futuro valor projetado do negócio mais do que em dinheiro; estar atento às mudanças de cenário do seu setor; comprometer-se em fazer alterações e reais e não apenas em “maquiar” os defeitos, e aprender a transformar o estresse em um aliado (pois ele sempre estará presente).

 

Não mexa no cofrinho
Na quinta-feira passada, destacamos um artigo do StartupNation sobre “como começar  zerado”, ou seja, dizendo que levantar uma empresa por meio do bootstrapping não é impossível. Hoje, a dica é diametralmente diferente. No Inc., Craig Bloem, CEO da da plataforma de criação de logos FreeLogoServices, recomenda que os empreendedores não “quebrem o cofrinho” para começar uma startup. Segundo ele, fundar um negócio com capital próprio implica em crescer devagar, arcar com o estresse de fazer cada centavo valer, ter que correr contra o tempo (já que não há dinheiro suficiente para errar), entre outros perrengues. Claro, é tudo questão de escolha. Leia mais no link acima.

 

Fases do MVP
Rahul Varshneya, cofundador da Arkenea (desenvolvedora de softwares), afirma, no Entrepreneur, que para que um MVP, de fato, resultar em economia de custos na validação de uma hipótese, em especial, na área de tecnologia, o empreendedor deve primeiro criar uma versão manual e, depois, automatizá-la. Nesta primeira etapa, é preciso emular todas as funcionalidades e o design do protótipo final. “A maior vantagem de criar uma versão manual é que você não precisa desenvolver linhas e linhas de código antes de perceber a necessidade de mudar de direção”, diz. Rahual ainda cita, no link acima, casos de empresas de sucesso que começaram com uma versão manual como o Groupon.

 

iLab Primeira Infância
Vão até dia 31 as inscrições para o iLab Primeira Infância, promovido pelo Núcleo Ciência Pela Infância (aliança de organizações com o objetivo de traduzir a ciência sobre o desenvolvimento da primeira infância para a sociedade). A iniciativa busca acelerar projetos que queiram melhorar a vida de crianças em situação de vulnerabilidade social por meio do conhecimento científico. Os selecionados na primeira fase do processo seletivo passarão por dois workshops que terão apoio metodológico da Artemisia. Ao final, até quatro projetos receberão um aporte financeiro de 150 mil reais para implementação de suas soluções. Mais informações no link acima.

1286 Total Views 1 Views Today
Veja também:

“Para mudar, estou tirando as peles, as máscaras, os disfarces e indo na essência de quem eu sou”

- 7 de junho de 2019