SPONSORS:

Seleção Draft – Você quer mesmo uma startup?

- 1 de outubro de 2018
O que está em jogo para dar o primeiro passo em um negócio é basicamente a motivação. Qual é a sua?

Você quer mesmo uma startup?
Dennis Balon, CEO da Tradomatic (plataforma que conecta produtores, comerciantes e consumidores de matérias-primas agrícolas) traz algumas questões para as pessoas refletirem se realmente querem e têm estrutura para fundar uma startup. No Medium, seu primeiro alerta é que entendam se esse é realmente seu sonho ou apenas uma ambição motivada por ego. Em seguida, pede para que se perguntem se a motivação é o dinheiro ou se há vontade, de fato, de construir algo. Depois, fala se existem parceiros envolvidos no projeto (ele indica, pelo menos, dois) e se já há experiência prévia na área (o que super recomenda). Por fim, indaga se a pessoa está disposta a pagar o preço de uma startup. “Não estou falando de dinheiro, isso é possível buscar. O que pode ser perdido e nunca mais encontrado é sua família, sua saúde física e mental e o tempo.” Leia mais no link acima.

 

Os dez slides do pitch
Também no Medium (link acima), Larry Kim, CEO da MobileMonkey (desenvolvedora de chatbots para anúncios no Facebook) escreve sobre os dez slides mais importantes que devam constar em um pitch. Segundo ele, não é necessário entregar todo ouro, mas instigar os investidores a pedirem mais detalhes. Ele destaca o que não pode faltar em uma apresentação: um título, as dores e oportunidades envolvidas no projeto, o valor da proposta, sua “fórmula mágica” (ou seja, a maneira única como resolve os problemas), o modelo de negócio, como pretende chegar no seu público-alvo, uma análise de concorrência, a descrição do seu time, projeções e métricas financeiras e, por fim, como pretende usar os fundos captados.

 

Em busca de experiências
O Estadão fala sobre um movimento cada dia mais comum: profissionais experientes e bem-sucedidos abandonando seus trabalhos em busca de uma oportunidade em startups. O texto (link acima) diz que “o desejo de vivenciar uma nova experiência” tem levado a essa busca por negócios nos quais possam ter mais autonomia e contribuir de forma mais participativa. O artigo traz relatos de várias pessoas que optaram por abandonar empresas tradicionais para se arriscarem em startups e mostra a opinião de especialistas sobre o tema, como a de Bela Fernandes, professora da Fundação Dom Cabral. Ela diz:

“Nas startups, o profissional encontra um modo de vida que não privilegia status e benefícios, mas a junção de todas as tribos”

 

Ocupação Afro.Futurista
Entre 9 e 20 de outubro, a aceleradora Vale do Dendê promove a 2ª edição da Ocupação Afro.Futurista. O evento gratuito é focado em cultura maker, empreendedorismo, tecnologia e economia criativa e acontecerá em Salvador e em outros dois municípios baianos, Seabra e Irecê. O encontro terá como fio condutor o mote “Wakanda é Bahia”, em referência à cidade ficcional africana totalmente high tech mostrada no filme Pantera Negra. Além disso, a ocupação realizará uma maratona de tecnologia para estimular jovens baianos a desenvolver ferramentas focadas em questões sociais. Mais informações no link acima.

1318 Total Views 1 Views Today
Veja também: