SPONSORS:

Talugo, aluguel de objetos

- 6 de julho de 2015
Logo da empresa.

Nome:
Talugo.

O que faz:
Plataforma para as pessoas alugarem objetos entre si.

Que problema resolve:
Ao colocar em contato o dono de um objeto e um potencial interessando em alugá-lo, permite geração de renda ao primeiro e economia ao segundo.

O que a torna especial:
Depois de um tempo fazendo testes no mercado, decidiram que iriam começar focando em nichos. Hoje, trabalham só com objetos para eventos (tais como vestidos, peças de decoração ou câmeras. Também destacam que contam com uma equipe complementar, com pessoas especializadas nas mais diferentes áreas, de marketing e jornalismo a TI e jurídico.

Fundação:
Abril de 2014.

Modelo de negócios:
Por enquanto o serviço é gratuito e não gera receita. Quando ganharem escala, eles pretendem passar a cobrar uma comissão sobre as transações feitas na plataforma.

Sócios:
Paula Morais – co-fundadora e CEO.
João Oliveira – co-fundador e responsável pela área de desenvolvimento web.
Ciro Moraes Reis – diretor jurídico.
Lucas Bittencourt – responsável pela implementação de parcerias.
Ana Beatriz Rosa – responsável pela assessoria de imprensa.
Marcos Fonseca – desenvolvedor.
Lucas Santana – diretor de marketing digital.
Ruhan Moreira – designer.

Perfil dos fundadores:

Paula Morais – 21 anos, Salvador (BA) – entrou na Faculdade de Direito da UFBA e, após passar pela ADV Junior Consultoria Jurídica e pela Inoltz, agência de negócios digitais, desistiu do curso e tornou-se estudante de Administração na UFBA. É uma das fundadoras da Liga Universitária de Empreendedorismo-Salvador. Foi semifinalista do Programa de Bolsas da Fundação Estudar e ganhou o Painel de Startups da SEMCOMP UFBA 2014. Atualmente é responsável pela área de Negócios da Talugo.com

João Oliveira – 20 anos, Rio de Janeiro (RJ) – é multi-instrumentista e técnico em Informática pelo Instituto Federal de Rondônia. Fundou a sua primeira empresa aos 16 anos e faliu aos 18 anos. Fundou o canal Zero Bugs no Youtube, com mais de 46 mil views e 700 inscritos. Estuda Sistemas de Informação na UNIFEI. 

Como surgiu:
A ideia surgiu no Startup Weekend Inatel. Lá, Paula e João ganharam o primeiro lugar da competição e decidiram tocar o negócio. Decidiram montar a equipe por meio de um processo seletivo nacional no qual escolheram mais seis colaboradores, que entraram como novos sócios.

Aceleração:
Não buscam.

Necessidade de investimento:
Estão em busca de aporte.

Investimento recebido:
Apenas recursos próprios.

Mercado e concorrentes:
Acreditam que concorrem com qualquer tipo de e-commerce. Mas há poucas empresas com a proposta de alugar objetos e que atuam focadas em nichos.

Maiores desafios:
Expandir para novos nichos e para além de Salvador (a única cidade em que o serviço funciona). Também consideram um desafio trazer a cultura da economia compartilhada para as pessoas.

Faturamento:
Não há.

Previsão de break-even:
Não há.

Visão de futuro:
“Queremos ser uma empresa global, mostrando para as pessoas que os objetos delas podem ser compartilhados e que nem sempre há necessidade de comprar algo”, diz Paula.

Onde encontrar:
Site
Contato

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

A Sizebay criou um “provador” virtual para os e-commerces de moda, aumentando as chances de vendas

- 14 de maio de 2019

A maternidade pode arruinar o sexo? É isso que a Pitaya, consultoria e sex shop para mães, quer mudar

- 20 de março de 2019