SPONSORS:

Verbete Draft: o que é Ecoempreendedorismo

- 23 de janeiro de 2019
Ecoempreendedorismo é sobre criar negócios e produtos que dão lucro, sim, mas que têm baixo ou nenhum impacto ambiental.

Continuamos a série que explica as principais palavras do vocabulário dos empreendedores da nova economia. São termos e expressões que você precisa saber: seja para conhecer as novas ferramentas que vão impulsionar seus negócios ou para te ajudar a falar a mesma língua de mentores e investidores. O verbete de hoje é…

ECOEMPREENDEDORISMO

O que acham que é: Empreendedorismo na área de economia.

O que realmente é: Ecoempreendedorismo é o nome que se dá a negócios que operam de forma sustentável, que tenham no seu core resolver problemas ambientais identificando oportunidades de inovar no presente pensando no futuro do planeta e da humanidade. O termo também está associado à gestão “ecoeficiente”, ou seja, que engloba políticas e processos capazes de reduzir os impactos ambientais causados por suas atividades. Segundo Andrée de Ridder Vieira, ecoempreendedora e presidente do Instituto Supereco, o Ecoempreendedorismo é uma tendência do empreendedorismo em criar negócios, inovação, serviços e produtos de forma sustentável, agregando valor socioambiental e econômico. “Dessa forma, é uma oportunidade de empreender com sustentabilidade, ética e lucro.”

Quem inventou: Não há um inventor. Marcus Marques, diretor executivo do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) e mentor de pequenas e médias empresas, diz que a primeira referência sobre Ecoempreendedorismo no mundo foi feita pelo UNEP (United Nations Environment Programme), programa da ONU para o meio ambiente. “Seu objetivo principal é promover o meio ambiente e fazer o uso eficiente de recursos nas empresas fazendo investimentos em tecnologias verdes”, afirma.

Quando foi inventado: O UNEP, em 1972.

Para que serve: É um tipo de empresa ou negócio que gera lucro ao mesmo tempo em que cuida do meio ambiente ou, pelo menos, não o destrói. Para Marques, criam-se produtos e serviços socialmente responsáveis. “Ao utilizar matérias-primas sustentáveis e recicláveis, gera-se impacto positivo no planeta.”

Viera diz que o Ecoempreendedorismo é um grande ganho para a conservação do meio ambiente aliado às questões sociais, incluindo o combate à pobreza e a geração de renda comunitária e dos pequenos e médios negócios. “Esse tipo de empreendedorismo está vinculado às políticas públicas e iniciativas voltadas à redução dos impactos ambientais resultados do próprio processo produtivo. Além disso, ajuda a cumprir vários Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, os chamados ODS, propostos pela Agenda 2030, a grande norteadora deste século”, afirma.

Quem usa: Há Ecoempreendedorismo praticamente no mundo todo. Uma publicação canadense especializada em responsabilidade social e desenvolvimento sustentável chamada Corporate Knights, publica, desde 2005 o The Global 100, ranking das 100 empresas com as melhores práticas de sustentabilidade corporativa no mundo. Este ano, o Brasil tem quatro companhias na lista (ano passado havia cinco) e é citado negativamente no texto editorial por causa da postura anacrônica do governo Bolsonaro em relação às mudanças climáticas.

Efeitos colaterais: Baixa demanda, o que eleva o preço dos produtos e serviços oferecidos por esses negócios; há casos de criação de produtos com baixa qualidade, o que leva à preferência, muitas vezes, por opções não sustentáveis. “Ainda há uma questão cultural, educativa e de falta de visão sistêmica que impede que se atinja uma escala capaz de sustentar esse tipo de negócio, onde todos ganhem igualitariamente de forma justa, sustentável e solidária”, diz Vieira.

Quem é contra: Empreendedores ou empresários que visam somente lucro imediato ou que não se importam com a preservação do meio ambiente.

Para saber mais:
1) Leia Optimistic in spite of reality, texto editorial da publicação canadense Coporate Knights que cita negativamente o novo governo brasileiro. Para receber por e-mail o The Global 100 basta se cadastrar neste link.
2) Assista ao TEDx 3 stories of local eco-entrepreneurship, de Majora Carter.
3) Leia, no Entrepreneur, Rolling Stones Rocker Turns Eco Entrepreneur, sobre o Mother Nature Network, criada por Chuck Leavell em 2009.

 

Veja também:

“Alimentamos animais com plantas para obter ovos, leite e carne. Por que não tirar o animal da equação?”

- 18 de abril de 2019

Com calçados veganos artesanais, a Urban Flowers propõe um olhar mais justo para a cadeia de produção

- 8 de abril de 2019

Pioneira em plantas fotovoltaicas de grande porte, a GD Solar atrai empresas de olho em energia sustentável

- 1 de abril de 2019