SPONSORS:

Verbete Draft: o que é Impressão 4D

- 31 de julho de 2019
As flores acima foram feitas a partir do processo de impressão 4D, utilizando um hidrogel de fibra de celulose. Uma vez imersas em água, essas estruturas mudam de forma (foto: Wyss Institute/ Harvard University).

Continuamos a série que explica as principais palavras do vocabulário dos empreendedores da nova economia. São termos e expressões que você precisa saber: seja para conhecer as novas ferramentas que vão impulsionar seus negócios ou para te ajudar a falar a mesma língua de mentores e investidores. O verbete de hoje é…

IMPRESSÃO 4D

O que acham que é: Impressora de filmes de ficção científica.

O que realmente é: Impressão 4D é uma tecnologia que utiliza a ação do tempo,  a incidência de fatores externos (como água, umidade, vento, radiação, vibração etc.) e o uso de materiais especiais para que objetos impressos em 3D atinjam, posteriormente, a quarta dimensão.

Para que isso aconteça, de acordo com Marcos Gentil, coordenador do curso de Desenvolvimento de Produtos Plásticos da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Mauá, a impressora 3D é previamente programada e utiliza um material específico para esse fim ou é aplicada uma substância especial em alguns pontos-chave da estrutura de um objeto enquanto ele é impresso tridimensionalmente. “Com o tempo e pelo estímulo externo, o material do objeto vai apresentando alterações estruturais, como contrações e dilatações, calculadas previamente pelo seu desenvolvedor.”

Em outras palavras, e segundo Marcio “Hulk” Giannelli, professor do curso do curso de Design da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP), a Impressão 4D não se trata de colocar mais um eixo na máquina mas, sim, da adaptação dos materiais impressos a partir de características químicas e geométricas. “Com a Impressão 4D damos aos materiais memórias e características geométricas que os permitam reagir em condições adversas, se transformando ou se reestruturando de acordo com a necessidade do momento.”

Quer um exemplo de Impressão 4D fácil de entender? Partindo do fato de que é possível imprimir comida em 3D (pois é, isso existe), imagine o macarrão Fettuccine (aquele de  forma comprida e chata) que, à medida em que cozinha na água, vai se transformando em Fusilli (também conhecido como parafuso). Os formatos foram escolhidos aleatoriamente mas, de forma geral, é isso que faz a Impressão 4D.

Origem: A Impressão 4D surgiu no Self-Assembly Lab, do MIT (Massachusetts Institute of Technology). Não é consenso mas há quem diga que o designer e cientista da computação Skylar Tibbits, cunhou o termo Impressão 4D nesse contexto.

Tibbits fundou o Self-Assembly Lab e, em 2013, participou de um TED Talk com a fala “The emergence of 4D printing” (link no item “Para saber mais”).

Para que serve: Construir encanamento de esgoto que expande quando necessário e transformar a escala das construções, imprimindo objetos em nano escala para a utilização em escala humana, e assim resolver problemas encontrados em obras, são dois usos citados por Tibbits em seu TED.

Na mesma linha deste último, Gentil diz que a Impressão 4D pode ser aplicada em áreas onde há estruturas complexas e de difícil construção por meios convencionais em 3D. “Já na engenharia, pode ser usada para construção de sistemas inteligentes e, na medicina, no carreamento de fármacos por meio dos micro e nano dispositivos”, conta. E segue: “Como essa tecnologia ainda está em seus primórdios, a possibilidade de aplicações será infinita.”

Materiais: Embora a impressora 3D já esteja entre nós faz tempo, até mesmo para usos caseiros (feitos em casa, ou Fab Labs abertos ao público), a Impressão 4D ainda é algo usado apenas em laboratórios de alto nível e por pesquisadores. Eles estão focados em produzir materiais cada vez mais tecnológicos e sem falhas.

Já na home do site do Self-Assembly Lab, do MIT, é possível ver o que de mais novo eles estão criando com essa tecnologia.

Para saber mais:
1) Assista, no YouTube, ao TED The emergence of “4D printing, de Skylar Tibbits.
2) Assista, no YouTube, ao vídeo ‘4d printing’ a box with origami folding.
3) Leia, no The Guardian, 4D-printing: from self-assembling chairs to cancer-fighting robots.

1321 Total Views 1 Views Today
Veja também:

Como a Bolha usa a tecnologia para criar “experiências memoráveis” na publicidade – e fora dela

- 1 de agosto de 2017
Nagib Nassif Filho na Bolha: o estúdio tem 12 makers e um lab de software e hardware para desenvolver projetos únicos.