Dubbi, uma rede colaborativa de perguntas e respostas sobre viagens

- 18 de abril de 2016
dubbi

Nome:
Dubbi.

O que ela faz:
É uma plataforma colaborativa para tirar dúvidas de viagem com quem já conhece seu destino, e assim, montar o melhor roteiro possível.

Que problema resolve:
O Dubbi consegue facilitar o processo de decisão de viagens por meio de respostas a perguntas específicas dos usuários, além de oferecer dicas personalizadas.

O que a torna especial:
A plataforma do Dubbi faz o match entre a dúvida de viagem e a melhor pessoa para respondê-la. Assim, consegue acelerar as respostas.

Modelo de negócio:
O modelo de negócios é baseado em três vertentes: comissão por produtos e serviços adquiridos por meio da plataforma; publicidade personalizada e consultoria para empresas, por meio de análise de dados gerados pela plataforma.

Fundação:
Março de 2015.

Sócios:
Caio Martins – CEO
David Andrade – COO
Marcos Arata – CTO

Perfil dos fundadores:

Caio Martins – 25 anos, São Paulo (SP) – formado em Direito pela USP. Foi pesquisador-bolsista de Inovação e Empreendedorismo na Incubadora de Empresas de Florença, Itália (Incubatore di Firenze). Foi estagiário no Banco Itaú Unibanco e trainee do Perlman Vidigal Godoy Advogados.

David Andrade – 27 anos, São Paulo (SP) – formado em Engenharia de Produção pela UFScar. Foi consultor de empresas, em firmas de consultoria como Deloitte e Avanxo Brasil.

Marcos Arata – 27 anos, São Paulo (SP) – formado em Engenharia de Produção pela UFScar. Tem experiência em firmas de M&A, como MAGMA Brasil. Fez estágio no Banco Santander e já trabalhou em uma empresa do Grupo Rocket Internet, em Londres.

Como ela surgiu:
O Dubbi nasceu de uma necessidade real. Em uma viagem, os fundadores sentiram a falta de um lugar para tirar dúvidas de viagem de forma personalizada e rápida, onde pudessem encontrar dicas de acordo com seu perfil. De volta ao Brasil, notaram que esse problema era muito comum. Depois de meses de pesquisa e desenvolvimento, colocaram no ar a plataforma, que teve aceitação rápida do público e passou a ganhar tração.

Estágio atual:
A empresa está sediada dentro do coworking da empresa VivaReal, o VivaComunidade. Ela mais mais de 20 mil usuários cadastrados e patrocínio oficial da Porto Seguro Viagens. Além disso, ela gera inteligência para agências de intercâmbio.

Aceleração:
Estão em busca.

Investimento recebido:
Recebeu investimento externo, mas o valor não foi informado.

Necessidade de investimento:
A startup está estruturando a sua segunda rodada de investimento.

Mercado e concorrentes:
“O mercado de conteúdo de viagem é muito amplo, porém pouco explorado de forma profissional e sistemática. O que queremos é facilitar o processo decisório, gerando melhores taxas de conversão e circulação de receita para o setor”, diz o CEO Caio. Além do TripAdvisor, que os sócios consideram como maior concorrente, algumas plataformas nacionais têm se dedicado a ajudar o viajante com seus roteiros, como a TravelRoutes, Plot e Quanto Custa Viajar (focada em orçamentos).

Maiores desafios:
Segundo Caio, é “continuar o crescimento de forma sustentável, garantindo o mesmo engajamento da comunidade de viajantes dentro da plataforma”.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Não informada.

Visão de futuro:
Ser a maior plataforma brasileira de conteúdo colaborativo de viagens.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

Em dois anos, o Mais Asas mudou de foco, de cidade, foi acelerado e pagou dívidas. Agora, está com novo fôlego

- 22 de fevereiro de 2017
Isabella Cunha e Bernard Biton, os sócios da +Asas, trocaram o Rio por São Paulo para acelerar o negócio de roteiros turísticos e focaram em clientes corporativos.